21 junho 2017 ~ 0 Comments

Artigo “PRIVACIDADE E PROTEÇÃO DE DADOS PESSOAIS” + material complementar

Você sabe quais tipos de dados pessoais o Google ou o Facebook conseguem acessar de seus usuários? Quais são os limites legais para este acesso aos nossos dados? 

Há alguma maneira de restringir o acesso dos “gigantes da web” aos nossos dados? O que a legislação brasileira diz a respeito de privacidade e proteção de dados pessoais? 

Há como minimizar a intrusão dos “gigantes da internet” em nossas vidas online? 

 

Essas e outras questões são abordadas pela Dra. Gisele Truzzi em seu artigo sobre “PRIVACIDADE e PROTEÇÃO DE DADOS PESSOAIS”, que é complementado por um material anexo, de uma palestra apresentada por ela sobre o tema.

 

 

 

INTERR~1 (2)

Continue Reading

26 julho 2016 ~ 0 Comments

A importância dos Termos de Uso – Caso “FACEBOOK MESSENGER”

Você tem o hábito de ler os TERMOS DE USO dos aplicativos que utiliza?
Você usa o aplicativo FACEBOOK MESSENGER, disponibilizado gratuitamente pela rede social? Já leu os Termos de Uso desse app?

Então dê uma olhada na tela abaixo, e saiba quais são as principais permissões que você concedeu ao aplicativo, ao instalá-lo em seu aparelho e aceitar as disposições.

FB Messenger_Termos de Uso

Os TERMOS DE USO possuem validade jurídica contratual. Neste documento, são estipuladas condições específicas de uso do app/site/software e definidas obrigações e direitos das partes envolvidas, entre outras questões. Ou seja: ao aceitar os TERMOS DE USO de um aplicativo, você estará automaticamente concordando com tudo o que está disposto naquele documento, integralmente.

Então, antes de instalar qualquer outro aplicativo ou software em seus dispositivos eletrônicos, primeiramente, pare para analisar o que determina seus Termos de Uso.

Fonte:
– Termos de Uso do Facebook Messenger: Termos de Uso – Facebook Messenger
– Matéria “10 Termos de Uso do Facebook Messenger que você aceitou sem ler”: 10 termos do FB Messenger que vc aceitou sem ler

Continue Reading

21 julho 2016 ~ 0 Comments

Suspensão do app WHATSAPP – Programa “Link Record News” – 20/07/2016

Advogada discute aspectos legais do bloqueio do Whatsapp

“O Whastsapp foi bloqueado pela terceira vez em todo o Brasil, mas horas depois, o STF revogou a decisão da Justiça do Rio de Janeiro e o aplicativo voltou a funcionar. O bloqueio se deu mais uma vez porque o Facebook, dono do Whatsapp, se negou a fornecer conversas de usuários investigados criminalmente. Mas isso seria suficiente para que todos os usuários do serviço fossem prejudicados? Para discutir os aspectos legais desse impasse, o Link Record News recebeu a advogada Gisele Truzzi, proprietária de Truzzi Advogados, especialista em direito digital.”

Clique no link a seguir p/ assistir ao vídeo: Record News – Gisele Truzzi

Gisele Truzzi_link record news

Gisele Truzzi_link record news

Continue Reading

21 julho 2016 ~ 0 Comments

Suspensão do Whatsapp – Entrevista TV CÂMARA São Paulo – Programa “Espaço Livre” – 09/05/2016

O jornalista Daniel Caniato recebe a advogada Gisele Truzzi, especialista em Direito Digital e proprietária de “Truzzi Advogados“.
Foram assuntos da entrevista: a suspensão temporária do aplicativo WhatsApp, a taxação de empresas que vendem conteúdo pela internet, a relação da indústria criativa com o poder público e a limitação de franquia de internet fixa.

Continue Reading

31 maio 2013 ~ 0 Comments

“O Homem é um animal social.” #sóquenão?!

Os serviços online mais utilizados atualmente são as redes sociais.
O tipo de programa que mais tem tomado conta dos canais de TV são os “reality shows”.
Os aplicativos mais utilizados em associação às redes sociais são aqueles do tipo:
– “o que estou assistindo?”
– “o que estou ouvindo?”
– “o que estou fazendo”
(Ex: Get Glue, Miso, Soundcloud, Foursquare).

Parece que cada vez mais a internet se torna “social”, consolidando-se como uma “internet de pessoas”.
O mundo está se tornando mais “social”. “Social media”, “social TV”, “social mail”, social chat”, “social broadcast”, “social apps”.
Porém, todo esse aparato de “social web” deveria propiciar, em tese, a interação social DE FATO.

Contudo, não é o que ocorre. Quanto mais interativa virtualmente a pessoa é, menos interativa ela parece ser, na realidade.
A interatividade social de fato é inversamente proporcional à “interatividade social” demonstrada na internet.

Cada vez mais vejo jovens e adolescentes preferindo o isolamento de seus quartos – com internet, claro! – a saírem para novas “baladas” e festas com grupos de amigos.
Nas minhas viagens, observo frequentemente pessoas que ficam “plugadas” no hotel para usufruírem melhor a internet, ou aqueles que desprezam um mergulho no mar, convidativo à sua frente, para ficarem com seus olhos colados às telas de seus smartphones e tablets.
Sem contar a infinidade de pessoas que vejo sorrindo para seus telefones, enquanto digitam um texto, em meio à uma casa noturna…
A cena toda acontecendo, a noite passando, a maré diminuindo, e o indivíduo nem notou… Porque estava online em seu smartphone, em sua bolha, conversando com outra pessoa ou preocupado em registrar aquele momento, sem vivenciá-lo.
Sozinho em uma multidão.
E devido a este tipo de comportamento, observo que vem se tornado muito comum deparar-se com pessoas que, em um evento, não sabem desencadear uma conversa, não se apresentam aos desconhecidos, não cumprimentam aqueles que chegam.
E isso sem contar aquela infinidade de indivíduos que não respondem mensagens, SMS ou e-mails. Odeio ficar sem resposta! Vácuo não é resposta! Dê-me uma resposta negativa, mas responda-me, por favor! Se eu enviei-lhe a mensagem, é porque esperava um retorno!
Se você é tão cheio de si que não pode parar um minuto para responder, o faça nem que seja somente por educação!

Talvez seja essa a característica pessoal do momento: o egocentrismo, o egoísmo, não se importar com mais nada além do seu próprio eu… “Sou tão cheio de mim mesmo, sou tão importante, que não vou parar para responder a sua mensagem.”
Seus pais não te deram educação, menino(a)?!

E assim, na busca pelo “social”, interagimos tanto “socialmente” na internet, que esquecemos de exercitar essa habilidade na vida prática, fora de nossas telas touch-screen.
A capacidade de sociabilização está deixando de ser o nosso diferencial dos outros animais.

Estamos nos tornando hábeis no uso de ferramentas sociais para nos mantermos distantes.
Social? Social disturbing.

Por GISELE TRUZZI
Advogada especialista em Direito Digital.
www.truzzi.com.br

2bpblogspotcom

Continue Reading